Resenha: Anjos e Demônios (Dan Brown)

O primeiro livro do #Projeto50LivrosEmUmAno é o maravilhoso Anjos e Demônios, de Dan Brown. Um livro empolgante cheio de símbolos e referências histórias, mas acompanhado com uma pitada de mistério característico do autor. Uma aventura fantástica!

 


 

Capa do Livro: Anjos e DemôniosTítulo: Anjos & Demônios

Autor: Dan Brown

Editora: Arqueiro

Páginas: 416

Sinopse: Antes de decifrar O Código Da Vinci, Robert Langdon, o famoso professor de Simbologia de Harvard, vive sua primeira aventura em Anjos e Demônios, quando tenta impedir que uma antiga sociedade secreta destrua a Cidade do Vaticano.

Às vésperas do conclave que vai eleger o novo Papa, Langdon é chamado às pressas para analisar um misterioso símbolo marcado a fogo no peito de um físico assassinado em um grande centro de pesquisas na Suíça.

Ele descobre indícios de algo inimaginável: a assinatura macabra no corpo da vítima – um ambigrama, uma palavra que pode ser lida tanto de cabeça para cima quanto de cabeça para baixo – é dos Illuminati, uma poderosa fraternidade considerada extinta há 400 anos.

A antiga sociedade ressurgiu disposta a levar a cabo a lendária vingança contra a Igreja Católica, seu inimigo mais odiado. De posse de uma nova arma devastadora, roubada do centro de pesquisas, ela ameaça explodir a Cidade do Vaticano e matar os quatro cardeais mais cotados para a sucessão papal.

Correndo contra o tempo, Langdon voa para Roma junto com Vittoria Vetra, uma bela cientista italiana. Numa caçada frenética por criptas, igrejas e catedrais, os dois desvendam enigmas e seguem uma trilha que  pode levar ao covil dos Illuminati – um refúgio secreto onde está a única esperança de salvação da Igreja nesta guerra entre ciência e religião.

Em Anjos e Demônios, Dan Brown demonstra novamente sua extraordinária habilidade de entremear suspense com fascinantes informações sobre ciência, religião e história da arte, despertando a curiosidade dos leitores para os significados ocultos deixados em monumentos e documentos históricos.


Anjos e Demônios

Para quem aprecia histórias cheias de suspense e enigmas, Anjos e Demônios é o livro ideal. Assim como em suas outras obras, Dan Brown demonstra nesta aventura sua incrível habilidade de mesclar ficção com temas reais. No caso deste, vemos a religião e a ciência como pauta principal.

Dan Brown tem uma narrativa empolgante e fluida, mas repleta de referências. Isso torna a leitura um pouco mais profunda do que livros fantasiosos, onde quase todos os fatos incluídos na história são ficcionais. Por conta disso, em diversos momentos da história você se pega com vontade de pesquisar um pouco sobre as personalidades (em grande parte artistas), os fatos e os objetos citados – uma coisa que fiz com bastante frequência durante a leitura do livro.

Além disso, os capítulos sempre terminam com um gancho sensacional para o próximo. Uma estratégia para despertar o interesse e a curiosidade que Dan Brown domina com maestria. Por conta disso, a leitura segue quase que ininterruptamente.

Uma característica bacana do livro é o autor parecer imparcial quanto aos temas abordados. Embora sejam quase opostos (ciência e religião), o romance não puxa sardinha para nenhum dos dois. Os personagens sim possuem suas predileções, mas não o livro. Dan Brown tem uma maneira sutil de apresentar críticas às duas “entidades”.

Muito pouco em qualquer religião organizada é inteiramente original. As religiões não começam do zero. Crescem uma a partir da outra. As religiões modernas são colagens, um registro histórico assimilado do esforço humano para compreender o divino.

Dan Brown também lida com polêmicas históricas. Muitos fatos citados criticam a religião e a ciência, fazendo o leitor refletir sobre certos dilemas morais interessantíssimos. No entanto, o autor não desrespeita as crenças religiosas nem científicas. Tanto um religioso, quanto um ateu podem se encantar com essa fascinante aventura.

Quem é esse deus-ciência? Quem é esse deus que oferece poder a seu povo, mas nenhuma estrutura moral para lhe dizer como usar este poder? Que tipo de deus dá fogo a uma criança, mas não a avisa sobre seus perigos? A linguagem da ciência não vem com diretrizes sobre o bem e o mal. Os livros científicos explicam-nos como criar uma reação nuclear, mas não têm nenhum capítulo discutindo se é uma boa ou má ideia.

Os personagens são encantadores. Robert Langdon é um homem cuja personalidade encanta o leitor, assim como aos outros personagens. Sua curiosidade, afiliada aos medos e a coragem de enfrentá-los, tornam o protagonista mais humano. Isso cria uma proximidade impressionante com o leitor.

Contudo, existe um clichê nas obras de Dan Brown que me desagradam. Os demais personagens, incluindo heróis e vilões, são incrivelmente semelhantes aos apresentados em outras obras do autor. Inclusive, o início das aventuras são quase idênticos. Sempre um chamado inesperado, sempre uma vítima importante, sempre uma cientista que tenha parentesco com a vítima, sempre um vilão que utilize de símbolos para se esconder e/ou promover.

Esse fato se tornou ainda mais evidente quando realizei a leitura de Fortaleza Digital. Os protagonistas são outros, mas as características são praticamente as mesmas. O professor David Becker me parece um rascunho exato de Robert Langdon.

Isso pode acabar sendo uma marca característica do autor, mas me remete a limitação. Acredito que Dan Brown possua criatividade suficiente para desenvolver suas histórias com clichês menos acentuados e repetitivos.Entretanto, isso também torna suas obras um tanto quanto independentes. Mesmo que as aventuras sejam sequências cronológicas, as histórias são completamente autônomas. Então o leitor não perde nada lendo fora da ordem de publicação.

Anjos e Demônios é um eletrizante e inteligente romance que desperta no leitor a vontade pelo saber. Um suspense que intriga e fascina, sem deixar de empolgar. Vale muito a pena! E, para quem gostou de Código Da Vinci, digo que ainda tem como se surpreender com as aventuras de Robert Langdon.

Este foi o primeiro livro de janeiro do #Projeto50LivrosEmUmAno. Acompanhem a iniciativa através do blog e também pelo instagram: @guhh_andrade

2 pensamentos sobre “Resenha: Anjos e Demônios (Dan Brown)

  1. Pingback: #Projeto50LivrosEmUmAno – Janeiro | Querida Mente Imperfeita

  2. Pingback: Resenha: O Símbolo Perdido (Dan Brown) | Querida Mente Imperfeita

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s